Book 1 – Lição 12 – Curso de Inglês – Intermediário

When it comes to he and we, it often seems easier (or at least more familiar) to live with illusions, half-truths, and self-deceptions. We embellish our stories: “My husband is the best.” “We are so happy.” “Everything is great.” We cling to romantic notions and socially acceptable, but totally unhealthy; we ignore our intuitions and feelings when they don’t align with our desired reality. It’s absolutely understandable — but not acceptable — that we would engage in such self-destructive behavior. What woman wants to admit that her life is less than fulfilling? That she is unhappy in her relationship, to the point that she wishes she could leave? That she needs a man in order to feel comfortable and secure? That she knows it’s time to end it but is too scary? That the guy she talked up to all her friends is really not all that? No woman I know! Nope, we take the seemingly easier route and avoid the truth for as long as possible. In the end, however, by ignoring what’s real we do ourselves a great injustice.

Sure, we’re occasionally blind to our self-deception, but most of the time we actually know something is wrong. Yet instead of acknowledging it and facing it head-on, we usually work as hard as possible to cover up any uneasy feelings. While we’re on autopilot, our natural reaction is to overlook and downplay our partner’s behaviors, and the resulting events, that bother us. Even if we’re self-aware, if we’ve failed to commit to uncompromising self-honesty we will lie about and make excuses for the men in our lives, and then, with the skill of a Hollywood actress, pretend that everything is okay.

Where does this get us? Exhausted, frustrated, and still unhappy is where! Eventually, no matter how hard our effort to keep the lies submerged, and how strong our desire to stay in our comfortable and secure ideal, deliverance comes, and it ain’t pretty. Sometimes the things that we try to pretend aren’t there — infidelity, any kind of abuse, a loveless marriage — come crashing in, making it impossible to deny the truth any longer. Other times reality creeps in, taking the form of such things as disease or depression, often aging us well beyond our years. Regardless, truth always surfaces.

tampando-o-sol-com-a-peneira

Tradução

Quando se trata de “ele” e “nós”, muitas vezes parece mais fácil (ou pelo menos mais familiar) viver com ilusões, meias verdades e auto decepções. Nós embelezamos nossas histórias: “Meu marido é o melhor”. “Estamos tão felizes.” “Tudo é ótimo.” Nós nos apegamos a noções românticas e socialmente aceitáveis, mas totalmente doentes; ignoramos nossas intuições e sentimentos quando eles não se alinham com a nossa realidade tão desejada. É absolutamente compreensível – mas não aceitável – que nos envolvamos com esse comportamento autodestrutivo. Qual mulher quer admitir que sua vida é menos do que completa? Que ela está infeliz em seu relacionamento, ao ponto que ela deseja que ela possa simplesmente sair disso? Que ela precisa de um homem para se sentir confortável e segura? Que ela sabe que é hora de acabar com tudo isso, mas é muito assustador? Que o homem de quem ela tanto falou bem para todos os seus amigos não é realmente tudo isso? Nenhuma mulher que conheço! Não, tomamos a rota aparentemente mais fácil e evitamos a verdade pelo maior tempo possível. No final, no entanto, ao ignorar o que é real, fazemos a nós mesmos uma grande injustiça.

Claro, estamos ocasionalmente cegos para a nossa auto-decepção, mas na maioria das vezes nós realmente sabemos que algo está errado. No entanto, em vez de reconhecê-lo e enfrentá-lo de frente, geralmente trabalhamos da forma mais dura possível para encobrir qualquer sentimento desconfortável. Enquanto estamos no piloto automático, nossa reação natural é ignorar e minimizar os comportamentos do nosso parceiro, e os eventos resultantes, que nos incomodam. Mesmo se nos conscientizarmos, se não conseguimos nos comprometermos com a auto-honestidade intransigente, poderemos mentir e criar desculpas para os homens em nossas vidas, e então, com a habilidade de uma atriz de Hollywood, pretendemos que tudo seja bem.

Onde isso nos leva? A se sentir esgotada, frustrada e ainda infeliz é o lugar! Eventualmente, não importa o quão duro seja o nosso esforço para manter as mentiras submersas, e quão forte o nosso desejo de permanecer em nosso ideal de conforto e segurança, a realidade chega e não é nada agradável. Às vezes, as coisas que tentamos fingir que não estão lá – como infidelidade, como qualquer tipo de abuso, ou um casamento sem amor – vem à tona, tornando impossível negar a verdade por mais tempo. Outras vezes, a realidade se aproxima, assumindo a forma de coisas como doença ou depressão, muitas vezes nossa aparência envelhece bem além dos nossos anos. Independentemente disso, a verdade sempre aparece.

Posts Relacionados: