Book 1 – Lição 2 – Curso de Inglês – Intermediário

No matter how many conversations, or buckets of tears, the reality is that nothing ever really shifts when we point fingers at everything and everyone else. We and he never change until me does. No matter how hard we try or how valiant the effort, we have absolutely no control over anyone but ourselves. The harder we try to manipulate, fix, or save our men and our relationships, the more exhausted and resigned we become, without ending up any better off.

Fortunately, there’s another option available, and that is to really get to know ourselves. Not the images we present to the world, but the truest expression of me. The quality of our relationships, and everything in life for that matter, starts with me, not the other way around. We ultimately determine the he and the we by who we choose to be. It’s as straightforward as an equation: one me + one he = two people creating one we.

Our relationships are mirrors of ourselves. If we are emotionally, mentally, and spiritually unhealthy, our relationships become reflections of our wounds. Our partners reflect how we honestly feel about ourselves. If we don’t respect and honor me, neither will our partners. If we don’t feel whole within ourselves, we will try to find a mate to fill in the holes for us.

woman

Tradução

Não importam quantos diálogos, ou baldes de lágrimas, a realidade é que nada realmente muda quando apontamos dedos para tudo e para todos. “Nós” e “ele” nunca mudam até que “eu” mude. Não importa o quão duro tentamos ou quanto esforço colocamos, nós não temos absolutamente nenhum controle sobre ninguém além de nós mesmos. Quanto mais nós tentarmos manipular, consertar ou salvar nossos homens e nossos relacionamentos, mais exaustas e resignadas nós nos tornamos, e isso não acaba em nada melhor.

Felizmente, existe outra alternativa disponível, e essa é a de realmente conhecermos a nós mesmos. Não aquela imagem de nós mesmos que apresentamos ao mundo, mas a expressão mais verdadeira do “eu”. A qualidade de nossos relacionamentos, e tudo na vida que se refere a isso, começa com o nosso “eu”, e não o contrário. Nós, em última instância, determinamos quem é “ele” e “nós” por quem escolhemos ser. É tão simples como uma equação: um eu + um ele = duas pessoas criando um nós.

Nossos relacionamentos são espelhos de nós mesmos. Se estamos emocionalmente, mentalmente e espiritualmente doentes, nossos relacionamentos se tornam reflexos de nossas feridas. Nossos parceiros refletem como nos sentimos honestamente sobre nós mesmos. Se não nos respeitarmos e não nos honrarmos, nem os nossos parceiros vão. Se não nos sentimos inteiros dentro de nós mesmos, tentaremos encontrar um companheiro para preencher os buracos que estão dentro de nós.

Posts Relacionados: